Gottino de volta à Record: o contragolpe de Edir Macedo na CNN

A emissora de Edir Macedo conseguiu tirar a maior estrela da CNN, que por sua vez havia sito “roubado” pela concorrência no ano passado causando uma rusga diplomática tremenda. Reinaldo Gottino acaba de ser recontratado pela Record. O jornalista vai voltar a apresentar o Balanço Geral, com retorno ao vivo a partir de junho. Trata-se de um golpe de mestre de Edir. O dono da emissora não havia engolido o fato de a estrela mais carismática de seu canal ter saído de lá para a concorrência. Prova disso é que quatro dias após a CNN Brasil anunciar a contratação de Gottino, Rubens Menin, dono da franquia nacional do canal de notícias americano, foi alvo de um ataque pesado da emissora de Macedo, com reportagens sequenciais mostrando problemas da MRV Construtora, empresa de Menin.

O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta ediçãoVEJA/VEJA

Gottino, no ano passado, quando falou à Record sobre a sondagem pela CNN, não recebeu contraproposta. A direção do canal pensou que ele não teria coragem de sair e ficou surpresa quando ele anunciou ter fechado contrato com a concorrência. Macedo ficou possesso. Ele havia feito um acordo de cavalheiros com Douglas Tavolaro, ex-diretor da Record e responsável por trazer a CNN ao Brasil, de que ninguém de seu elenco fosse levado para o novo canal.

O grande atrativo oferecido a Gottivo para voltar aos braços de Macedo atende pelo nome de merchan. Gottino deve fazer entre seis merchans por dia, mais salário fixo. Com isso, seu rendimento mínimo será de 500.000 reais por mês na nova-velha casa. A emissora, no entanto, não confirma nem comenta sobre valores.

Efeito fake news: os detalhes da debandada de clientes da SmartFit

Edgard Corona deve sentir no bolso o fato de estar no centro das investigações como suposto financiador de disparos de fake news. Após a operação da Polícia Federal realizada na quarta, 27, quando o empresário teve sua quebra de sigilos fiscal e bancário quebrados, viu-se uma campanha na internet pedindo para que alunos façam o cancelamento de matrículas das redes SmartFit. A rede de academias tem uma cláusula segundo a qual a matrícula pode ser cancelada a qualquer momento, mas isso precisa ser feito de forma presencial. Quase todas as unidades estão fechadas devido à pandemia, o que tem causado revolta por quem não consegue se desligar da empresa. No Twitter, alguns perfis orientam alunos a fazer queixa da academia pelo Procon.

Pelo site Reclame Aqui, há diversos alunos reclamando da impossibilidade de fazer o cancelamento por plataformas digitais — alguns usam a decisão de deixar a empresa justamente pela investigação de seu dono no inquérito das fake news. “Já estava bastante indignada com a pressão que o dono da rede SmartFit faz para a reabertura das academias durante a pandemia, e agora me recuso a dar meu dinheiro para que financiam notícias falsas em prol desse governo nazista! Contudo, entrei no espaço do aluno para cancelar e não tem mais essa opção no espaço! Minha matrícula foi trancada automaticamente por conta da pandemia, mas quero cancelar definitivamente e não consigo! Eu me recuso a continuar dando dinheiro para academia Bolsonarista!”, escreveu uma aluna de Brasília. “Eu estou pagando mensalidade parcial durante a pandemia para manter a empresa com um pouco de fôlego e manter colaboradores, mas esse dinheiro pode estar sendo usado para financiar fake news”, argumentou outra de Goiânia pelo Reclame Aqui.

O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta ediçãoVEJA/VEJA

Ao autorizar a quebra de sigilos de empresários, entre eles também o Luciano Hang, o ministro Alexandre de Moraes usou como argumento a mensagem de Corona pedindo apoio financeiro para vídeos contra Rodrigo Maia: “Temos de impulsionar esses vídeos. Precisamos de dinheiro para investir em marketing”, diz a mensagem, enviada ao grupo do movimento Brasil 200 e revelada em fevereiro deste ano.

Até dezembro de 2019, a rede SmartFit contava com 2,5 milhões de alunos e 730 unidades espalhadas por dez países. A empresa chamou a atenção do mercado quando o fundo canadense CPPIB comprou 12,4% do grupo por 1,07 bilhão de reais, avaliando a companhia em 8,6 bilhões. A aquisição foi em novembro passado.

Continua após a publicidade

Procurado por VEJA, a SmartFit não fala sobre o aumento de cancelamentos de matrículas em virtude de Corona ser investigado pelo STF. A assessoria de imprensa mandou o seguinte comunicado: “O cancelamento não pode ser efetivado agora em virtude das academias estarem fechadas. Exatamente por esse motivo que, nesse período, nenhuma cobrança de mensalidade vem sendo efetuada. Assim que as unidades reabrirem, o cancelamento poderá ser realizado normalmente”.

Alberto Safra se envolve em problema ambien­tal

Alberto Safra//Reprodução

Após uma briga familiar que resultou em sua saída do banco Safra no segundo semestre de 2019, no qual era responsável pela área de empresas, Alberto Safra, de 39 anos, envolveu-se em um problema ambien­tal. Em abril, uma obra cortou o jundu que ficava na frente de sua mansão na Praia da Baleia, um dos pontos mais valorizados do litoral paulista. A ação revoltou vizinhos, inconformados porque supostamente essa mata servia de alimento para sabiás e tucanos, e gerou uma advertência da Polícia Ambiental. Procurado por VEJA, Alberto informou por meio de sua assessoria que o boletim de ocorrência foi lavrado contra o responsável pela obra. Além disso, prometeu acertadamente replantar jundu na área. Ele é um dos quatro filhos do banqueiro Joseph Safra.

O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta ediçãoVEJA/VEJA

Publicado em VEJA de 3 de junho de 2020, edição nº 2689

Bela Gil se filia ao PSOL do Rio de Janeiro

A chef e apresentadora Bela Gil decidiu se filiar ao PSOL do Rio de Janeiro na semana passada. Adepta de uma alimentação saudável e sem agrotóxicos, que tem como estrela do cardápio o churrasco de melancia, ela não planeja ser candidata nas eleições municipais de 2020. Bela pretende atuar nos bastidores, ajudando políticos da sigla na elaboração de programas de refeição escolar e manejo sustentável, temas que ela conhece com propriedade. Embora não seja o plano de Bela, integrantes do PSOL desejam que ela tome gosto pela coisa e saia candidata a deputada federal em 2022.

O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta ediçãoVEJA/VEJA

Publicado em VEJA de 3 de junho de 2020, edição nº 2689

Serasa está sendo cobrada na Justiça pela cantora Pabllo Vittar

Especializada em fazer relatórios de maus pagadores, a Serasa está sendo agora cobrada na Justiça pela cantora Pabllo Vittar a arcar com uma indenização de 120 000 reais. Em agosto do ano passado, a entidade colocou no ar uma propaganda engraçadinha insinuando que ela devia 70 000 dólares à cantora Anitta. A brincadeira pegou mal por dois motivos: a história era mentirosa e as duas artistas concorrentes não se bicam desde um episódio em que circularam rumores dizendo que Anitta teria bancado com recursos próprios um clipe da rival. Até a última quinta, 28, a Serasa ainda não havia sido notificada da ação.

O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta ediçãoVEJA/VEJA

Publicado em VEJA de 3 de junho de 2020, edição nº 2689

Cantora Iza grava clipe para apoiar a causa dos refugiados

A convite da Organização das Nações Unidas, a cantora Iza e o DJ americano Maejor lançaram um clipe chamado Let Me Be the One para apoiar a causa dos refugiados.

Como surgiu o convite da ONU para esse trabalho? A campanha traz uma mensagem importante, ainda mais neste momento que estamos vivendo. Eu me senti muito tocada com a presença dos refugiados, principalmente pelo meu ponto de vista de mulher negra: muitos deles também são negros.

O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta ediçãoVEJA/VEJA

Como você foi impactada pela Covid-19? Perdi um parente, e vários amigos e pessoas próximas contraíram o vírus, então eu realmente fui afetada pelo lado mais obscuro desta pandemia, que é perder pessoas que a gente ama.

Publicado em VEJA de 3 de junho de 2020, edição nº 2689

Luana Dellevedove, nora de Bolsonaro: presente reluzente para a sogra

Namorada de Renan Bolsonaro, descrito pelo pai como galã de condomínio, Luana Dellevedove quis dar um presente de aniversário diferente à sogra. Ela levou Ana Cristina Siqueira Valle ao dentista Roberto Gomes Viotto, em São Paulo, para presenteá-la com um novo sorriso. Tudo feito na base do jabá. Em troca de dentes reluzentes graças às facetas de porcelana, Luana postou nas redes parte do procedimento. Se fosse cobrado, o serviço custaria cerca de 40 000 reais. Moradora de São Paulo, a moça vem se dividindo entre a cidade, o Rio e Brasília e, embora tenha perdido uma tia-avó para a Covid-19, diz que votaria de novo no sogro, Jair Bolsonaro.

Como se deu o procedimento? Era um sonho da minha sogra colocar as lentes nos dentes, daí falei com o Viotto e conseguimos a parceria. Ela fez a moldura e, em quinze dias, colocará as lentes em 20 dentes. Eu amo a minha sogra, nós viramos BFF.

A pandemia atrapalhou seu trabalho como influenciadora? Na verdade, aumentaram meus trabalhos. As marcas estão desesperadas para vender. Como já fazia foto de looks dentro de casa, meu trabalho ficou mais forte. Tenho feito algumas fotos em locações internas, na casa de alguns amigos, para variar um pouco.

O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta ediçãoVEJA/VEJA

Você prefere Brasília, onde Renan mora agora, ou Resende, onde mora a sua sogra? Resende, pois não precisa de tanta escolta e a vida é mais normal. Vamos passar todos a semana na cidade para ver juntos minha participação no Mega Senha, o programa do Marcelo de Carvalho.

Continua após a publicidade

Publicado em VEJA de 3 de junho de 2020, edição nº 2689

Remoção de vídeos e análise do MP: avanços do caso “Bel para Meninas”

O caso do canal Bel para Meninas, acusado de postar no YouTube cenas constrangedoras de uma criança ao longo dos últimos anos, ganha novos contornos. Maurício e Francinete Peres Madaglena, os pais da criança, tiraram do ar todos os vídeos, que juntos somavam mais de 2 bilhões de visualizações. O ato se deu por meio de uma determinação judicial, que também pediu que a menor não se manifeste sobre o assunto publicamente. O Ministério Púbico analisa a acusação de exposição vexatória e constrangimento. O caso corre em segredo de Justiça. O canal tinha mais de 4.000 vídeos, postados nos últimos oito anos.

Na semana retrasada, o canal de Bel no YouTube motivou a discussão sobre qual é o limite da privacidade para uma criança transformada em produto rentável e a #SalveBelParaMeninas virou trending topic do Twitter. Motivo: um compilado de vídeos mostrava a garota de 13 anos em situação bastante desconfortável, na qual parecia contrariada por não poder usar uma mochila e passando mal ao comer uma refeição com aspecto de gororoba, entre outras cenas. O Conselho Tutelar de Maricá esteve duas vezes na casa onde moram Fran, Maurício, Bel e Nina, e prepararam um relatório a partir das visitas e conversas com os envolvidos. Procurados por VEJA via e-mail, os pais não responderam ao pedido de entrevista.

Pelo canal Bel Para Meninas, os pais postaram um vídeo-desabafo na quarta, 27: “Se algum vídeo pareceu ruim ou infeliz, não foi a nossa intenção. Se publicamos, foi porque não vimos maldade de nada. Eu nunca bati nas minhas filhas, nunca coloquei minhas filhas de castigo. As minhas filhas conheceram a agressão com essa campanha covarde”, disse a mãe. “Do dia para a noite, vimos nossa vida desmoronou por conta de fake news”, falou o pai. Sobre os vídeos removidos do canal, os pais disseram: “Vamos privar todos os vídeos que elas aparecem, não vamos excluir nada até porque é a nossa vida, mas estará disponível para qualquer autoridade que queira ver e ter acesso a isso.”

A exposição da filha Bel, iniciada em 2012 por meio de um canal do YouTube então dedicado a ensinar penteados de cabelo, se transformou em um negócio muito rentável. Entre canais dos pais e das filhas, a família soma 20 milhões de inscritos. Isso fora a publicação de quatro livros, de participação em eventos e de propaganda de produtos.

Continua após a publicidade

 

 

O revés de Rose Miriam: “expulsa” da ação do inventário de Gugu

Rose Miriam di Matteo sofreu um novo golpe em sua batalha pelo reconhecimento de união estável com Gugu Liberato. No dia 18 de maio, a mãe de João Augusto, Marina e Sofia foi retirada da ação de Inventário e Bens e Partilha do apresentador de TV, cuja fortuna está estimada em 1 bilhão de reais. No processo 1122050-41.2019.8.26.0100, o qual VEJA teve acesso via Diário Oficial Estadual, a juíza Eliane da Câmara Leite Ferreira, da 1º Vara da Família e Sucessões, argumentou que o entendimento foi mudado quando se soube da existência de um documento que demonstra, a princípio, a inexistência de união estável entre Rose e Gugu. A magistrada menciona ainda na decisão publicada que o mesmo contrato já havia sido analisado pelo Tribunal, afastando também, a “tese” de Rose Miriam.

Nessa decisão publicada no Diário Oficial, que tirou Rose do processo de inventário, a juíza ainda afirma que não há razão pela permanência da médica no inventário pelo fato de ter sido indeferido o pedido de reserva de bens, fazendo que sua permanência nas discussões do patrimônio sejam injustificáveis. A magistrada usa a parte final de seu despacho para dar uma bronca em Rose. “Se não bastasse os fatos expostos acima, a terceira vem tumultuando o andamento do feito, com a juntada de petições, cujo conteúdo foge ao objeto dos presentes, e supostamente, dando indevida publicidade dos atos processuais. Igualmente, o advogado da terceira (Rose) não terá mais acesso aos autos, devendo, todavia, ser intimado da presente decisão”, escreveu a magistrada, referindo-se a Nelson Wilians, responsável pela defesa de Rose. Cabe recurso e Rose pode reverter a decisão para voltar a acompanhar o inventário.

Como VEJA publicou em março, foi anexada ao processo uma escritura do livro 5.995, página 225 do 7º Tabelião de Notas de São Paulo. Nela, consta a doação de uma casa de Alphaville de Gugu para Rose, com seis suítes e valor venal de 1,8 milhão de reais. À época, tratava-se da residência onde a médica vivia com seus três filhos (o imóvel está até hoje no nome de Rose). Essa certidão em si é menos importante pela cessão da casa do que pelas informações que nele constam. O documento, lavrado no dia 24 de janeiro de 2012, traz outras implicações sobre a dinâmica da relação. Rose aparece ali como “solteira, segundo declarou, sem manter relacionamento”. Outro trecho diz que “reconhece que estão ligados tão e somente como pais e, portanto, são responsáveis pelo bem-estar dos filhos”. Esse documento parecia ser o ponto final no processo de união estável.

Salvático e Gugu, em Paris: casal de se tratava pelos apelidos Paxtel e PoxinhaReprodução/VEJA

Ainda não se sabe ao certo qual é o valor exato do patrimônio de Gugu. Dono de inúmeras empresas, algumas com participação de cotas e outras como único proprietário, todas as matrículas de imóveis e ações estão sendo requeridas para perícia e análise. Namorado de Gugu desde 2011, o chef sorveteiro Thiago Salvático também deu entrada com pedido de reconhecimento de união estável. Ele até o momento não integrou o inventário do apresentador falecido no ano passado vítima de um acidente doméstico, em Orlando.

Globo não renova com Zeca Camargo como parte de plano para reduzir gastos

Na política de cortes de gastos que inclui a necessidade de administrar um elenco cada vez menor, a Rede Globo não renovou nesta quarta, 27, o contrato com o jornalista e apresentador Zeca Camargo. Com passagens pelo Fantástico, Vídeo Show e No Limite, Zeca era um dos apresentadores do É de Casa, exibido nas manhãs de sábados. Em 2019, circularam boatos de que a emissora teria tentado reduzir o salário de Camargo, que por sua vez não teria aceito. Estima-se que o apresentador tinha um salário de 300 000 reais por mês, valor que a Globo não confirma.

A emissora deve fazer outros cortes nos próximos dias. O departamento de teledramaturgia, que fica sob responsabilidade de Silvio de Abreu, será o mais afetado.

Como a pandemia afeta crianças e adolescentes, a delação que ameaça Witzel e mais. Leia na edição da semanaReprodução/VEJA

O Globo emitiu o seguinte comunicado:

Após 24 anos de uma trajetória conjunta, marcada por uma parceria de muito respeito e sucesso, o apresentador Zeca Camargo se despede da Globo. 

Continua após a publicidade

 Profissional multitalentoso, Zeca chegou à emissora em 1996 como apresentador e coordenador de projetos e novos formatos do Fantástico. No programa, foi responsável pela criação de diversas séries e comandou entrevistas com grandes artistas internacionais como Paul McCartney, Mick Jagger, Madonna e Lady Gaga. Levou sua paixão por viajar para o dominical nas centenas de viagens que fez através das séries ‘Aqui se Fala Português’ (1998), ‘A Fantástica Volta ao Mundo’ (2004), entre outras. Coube a Zeca também a apresentação do primeiro reality do país, ‘No Limite’, lançado em 2000. No gênero, ele comandou ainda ‘O Jogo’ e ‘Hipertensão’. Em 2013, Zeca deixou o Fantástico e partiu de vez para o entretenimento, quando assumiu a apresentação da nova fase do ‘Vídeo Show’. E em 2015 se juntou ao time de apresentadores do ‘É de Casa’, matinal que apresentou até o começo de maio, antes de sair de férias.