Herdeiros da Companhia Melhoramentos dão festa durante a pandemia

Herdeiros da Companhia Melhoramentos, conglomerado que envolve negócios como papel e celulose, incorporação e construção civil, os irmãos Mario e Paulo Velloso (à dir.) atuam no ramo da música como DJs. Na semana passada, cansados das restrições da quarentena, mandaram às favas as regras de distanciamento e deram uma festa de arromba na mansão de um deles, em São Paulo. O nome da comemoração: “festa junina — bico calado”. Os mais de 100 convidados, boa parte composta de multimilionários como eles, foram orientados a não postar nada, para evitar críticas. Mas não deu para manter segredo. Houve aglomeração de carros e pessoas entrando e saindo madrugada adentro. Nenhum convidado usou máscara. No sábado 27, dia da festa, o Brasil somava 57 103 mortes por coronavírus.

Em tempo: após a publicação desta nota, a assessoria de imprensa da Melhoramentos enviou o seguinte comunicado: Acerca de notícias, recentemente veiculadas, que associam a Companhia Melhoramentos de São Paulo à organização de evento social realizado durante a atual pandemia de COVID-19, esclarecemos que a Melhoramentos não possui qualquer relação com a organização do evento. A Companhia é sociedade anônima de capital aberto, com ações negociadas na B3 por centenas de investidores, gestão totalmente profissionalizada e um Conselho de Administração de natureza independente. Os organizadores do dito evento não são herdeiros ou acionistas da Companhia, nem participam de sua gestão. São filhos de uma das acionistas da empresa.

São filhos de uma das acionistas da empresa. Fundada há 130 anos, a Melhoramentos se orgulha de ter entre seus principais pilares o respeito à vida e à dignidade humana. Nesta pandemia, estamos tomando todos os cuidados para garantir a segurança e a saúde de nossos colaboradores diretos e indiretos, confiantes de que a ciência, o bom senso e o cuidado com a vida humana nos levarão a superar este difícil momento da vida brasileira da melhor e mais rápida forma possível.

Leia nesta edição: a pacificação do Executivo nas relações com o Congresso e ao Supremo, os diferentes números da Covid-19 nos estados brasileiros e novas revelações sobre o caso QueirozVEJA/VEJA

Publicado em VEJA de 8 de julho de 2020, edição nº 2694