Antonio Bivar morre de covid-19 aos 81 anos

O escritor, ensaísta, dramaturgo e jornalista Antonio Bivar, de 81 anos, morreu neste domingo vítima do novo coronavírus. O paulistano estava internado desde 23 de junho na UTI do hospital Sancta Maggiori.

Bivar é autor de peças como Cordélia BrasilAlzira Power e Abre a Janela e Deixa Entrar o Ar Puro e o Sol da Manhã, que contrariavam a maré política ao abordar opressão feminina e comportamento no final dos anos 1960. Também publicou livros de contos (como Contos atrevidos), romances (Chic-A-boom) e biografias (Yolanda, sobre a socialite Yolanda Penteado). 

Figura importante da contracultura brasileira, o escritor se identificou principalmente com os movimentos hippie e punk. Nos anos 70, perseguido pela censura, morou em Londres e conviveu com a cultura hippie local. Após voltar, foi um dos organizadores do festival O começo do fim do mundo, no Sesc Pompeia, em 1982, um marco do punk brasileiro. Publicou ainda o influente ensaio “O que é Punk”.

Seu último livro foi a autobiografia Perseverança (Humana Letra), em que conta sua trajetória, principalmente nos anos 1980 e 1990.

Continua após a publicidade