Apocalypse Now ganha brilhante versão definitiva e dois documentários

Apocalypse Now — Final Cut é a versão que o diretor Francis Ford Coppola sempre quis dar a uma de suas obras-primas. Com 49 minutos a mais que o original, a brilhante (e livre) adaptação de O Coração das Trevas, de Joseph Conrad, chega à plataforma Belas Artes à la Carte, com aluguel de R$ 14,90, em magnífica cópia restaurada e três horas de duração.

Na trama, o capitão Benjamin Willard (Martin Sheen) está em Saigon durante a Guerra do Vietnã. Recebe, então, uma delicada e complicada missão: matar Walter Kurtz (Marlon Brando), um coronel, também americano, que pirou, criou uma legião de fanáticos e tornou-se um rebelde indomável. Willard precisa ir de barco até o Camboja, onde Kurtz está escondido no meio da selva.

+ Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Alguns problemas enfrentados por Coppola: o orçamento extrapolou e o cineasta passou 238 dias filmando nas Filipinas, entre 1976 e 1977, houve troca do protagonista, a passagem de um tufão (e a paralisação das gravações por dois meses), um ataque cardíaco que quase matou Sheen e o estrelismo de Brando. O que se vê, no entanto, é um trabalho feérico, pulsante e com o DNA megalomaníaco de seu realizador. Lançado em 1979, Apocalypse Now não ficou datado após quatro décadas de sua estreia, sobretudo pela atualidade do texto e pela intensidade com que os profissionais se entregaram ao projeto atemporal. E aí é preciso destacar a impecável direção de fotografia de Vittorio Storaro (merecido vencedor do Oscar) e o desenho de produção de Dean Tavoularis.

O Belas Artes à la Carte também lançou dois documentários fundamentais para acompanhar Apocalypse Now. De 1991, O Apocalipse de um Cineasta tem imagens dos bastidores captadas por Eleanor Coppola, esposa do diretor. Dura uma hora e meia e enfoca o complexo e árduo trabalho de realização. A novidade, porém, é o média-metragem Dutch Angle — Fotografando Apocalypse Now, de 2019, que traz à frente das câmeras o fotógrafo de guerra holandês Chas Gerretsen. Ele marcou presença nas filmagens e 15% das imagens que fez foram recuperadas, como uma de Marlon Brando posando com as crianças filipinas. Muito sincero, ele não minimiza críticas ao arrogante intérprete do coronel Kurtz. Ambos os documentários são grátis para assinantes do Belas Artes à la Carte ou R$ 7,90 para aluguel.

Continua após a publicidade

Quer me seguir nas redes sociais? Anote! 

Facebook: Miguel Barbieri Jr. 
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: miguel barbieri jr