Previsões, sexualidade e sumiço: Netflix estreia doc sobre Walter Mercado

Uma notícia muito boa no catálogo do streaming. A Netflix estreou nesta quarta, 8, um documentário inédito e próprio sobre a vida do astrólogo porto-riquenho Walter Mercado. Batizado no Brasil de Ligue Djá (não haveria outro nome possível, aliás), o filme conta em 1h36 a história do homem que virou estrela da TV em 1969 fazendo suas previsões. Ele era muito maior que seu ofício. Para além da astrologia, o público ficava mesmerizado diante da tela para ver seu figurino exuberante. Seu closet era uma mistura das roupas do americano Liberace com o brasileiro Cauby Peixoto: muito cetim, chiffon e joias. As capas bordadas eram dignas de figurinos de rainhas.

Leia nesta edição: a pacificação do Executivo nas relações com o Congresso e ao Supremo, os diferentes números da Covid-19 nos estados brasileiros e novas revelações sobre o caso QueirozVEJA/VEJA

O documentário explora as questões como sexualidade, perda de direitos de imagem e a fama de vidente, milagreiro e profeta. Um ponto alto trata de seus sumiços seguidos de teorias da conspiração. No Brasil, em propagandas de TV veiculadas em canais como SBT, ele ficou muito conhecido pelo bordão “ligue djá”. Nos Estados Unidos, o documentário se chama Mucho Mucho Amor. Para o astrólogo, o amor curava tudo. O Brasil era o segundo maior público de Mercado, para quem o sexo era algo, digamos, não palpável. “Faço sexo com a vida, com as roupas, com a beleza.”

Mercado morreu em sua natal San Juan, Porto Rico, em novembro de 2019. Tinha 87 anos, quando já havia desaparecido da TV — mas suas caras e bocas forneceram matéria-prima para uma fábrica de memes.