5 ótimas novidades no Amazon Prime Video, Apple TV+ e NOW

Cinemas fechados e só nos resta o streaming. Ainda bem que as plataformas digitais estão repletas de boas novidades. Amazon Prime Video, Apple TV+ e NOW (ou outra plataforma de aluguel) receberam recentemente estes cinco lançamentos que valem a pena.

>Priscilla e Mary Beth Connolly, interpretadas por Sophie Lowe e Morgan Saylor, são irmãs e acabaram de perder a mãe. Inquieta e rebelde, Priscilla quer refazer a vida longe da vila pesqueira no Estado do Maine, onde moram. No mesmo dia do enterro, ela vai afogar as mágoas num bar e conhece um sujeito de caráter duvidoso. O resultado desse encontro termina em tragédia. Blow the Man Down também enfoca a briga entre a velha dona de um prostíbulo e suas ex-amigas carolas. Roteiristas e diretoras, Bridget Savage Cole e Danielle Krudy, em seu primeiro longa-metragem, bebem na fonte dos irmãos Coen (sobretudo de Fargo) para compor uma instigante trama de mistério que envolve uma investigação policial, uma cidadezinha atolada na hipocrisia e mulheres dispostas a virar a jogo. Embora o início e seu desenrolar sejam mais entusiasmantes que o desfecho, o filme, ao menos, arrisca-se na mistura de gêneros com alguma originalidade. Amazon Prime Video.

>Numa pequena cidade do Novo México, na década de 50, os moradores estão reunidos para acompanhar uma partida de basquete. Mas Everett e Fay, papéis de Jake Horowitz e Sierra McCormick, precisam trabalhar. Enquanto ele é radialista, e seu programa está prestes a ir ao ar, a adolescente atua como telefonista. Um estranho ruído durante uma transmissão coloca a dupla em estado de alerta. Quem estaria emitindo os sinais? A Vastidão da Noite traz um saldo bastante positivo: resgata a ficção científica nos moldes do icônico seriado Twilight Zone (Além da Imaginação), tem uma eficiente fotografia, que, mesmo escura, dá à trama uma ambiência enigmática, e consegue ser entusiasmante a direção do estreante Andrew Patterson, também autor do roteiro. Fique atento: impossível não ficar boquiaberto com a câmera aérea que faz um tour pelas ruas num plano-sequência formidável. Amazon Prime Video.

>Primorosos, os traços à moda antiga da animação Os Olhos de Cabul são como aquarelas em movimento. E sua história mantém o interesse ao enfocar os dramas dos habitantes de Cabul, no Afeganistão, durante o regime talibã. Numa ponta do roteiro está o casal Mohsen e Zunaira, professores que tiveram sua liberdade cerceada. Do outro lado do enredo encontra-se Atiq, um senhor que trabalha como carcereiro de um presídio feminino cuja esposa, Mussarat, tem câncer em estágio terminal. Os personagens terão seus destinos cruzados por causa de uma fatalidade. Cabul, sob os escombros da guerra, ganha um registro realista, com mulheres infiéis sendo apedrejadas nas ruas e homens, contrários ao novo sistema, sendo humilhados pelos mandachuvas radicais islâmicos, que proíbem a música, a educação nas escolas e a alegria em público. Em meio às tragédias e às tristezas do cotidiano, emerge uma luz no fim do túnel, belamente simbolizada pelas andorinhas (as hirondelles do título original) que voam pelo céu da capital afegã. NOW, Google Play, Apple TV+ e outras plataformas de aluguel.

Continua após a publicidade

>Greyhound — Na Mira do Inimigo é uma produção da Apple (e exclusiva da plataforma digital) estrelada por Tom Hanks. O roteiro, extraído do livro O Bom Pastor, de C.S. Forester, também é do ator. Talvez Hanks pudesse ter sido mais econômico no linguajar náutico, que faz o espectador se perder diante de tantos termos específicos. Isso, contudo, se dilui quando a ação domina o espetáculo visual. O astro interpreta o capitão Krauser, que, em sua primeira grande façanha a bordo de um destróier, precisa escoltar um comboio de navios aliados que ruma em direção à Grã-¬Bretanha, na II Guerra. No Mar do Norte, porém, submarinos com os inimigos alemães vão partir para o ataque. Praticamente todo ambientado dentro da embarcação, o filme cobre as 48 horas (sem dormir) do protagonista e as atitudes (certas ou erradas) que ele precisa tomar. Hanks, carismático, é um craque em personagens heroicos e, não à toa, deixa o brilho para si próprio, já que os coadjuvantes são meros adereços em cena. A condução de Aaron Schneider, experiente diretor de fotografia, se mostra vibrante, sobretudo nas cenas das batalhas navais. Apple TV+

>Representante da Polônia no Oscar 2020 de melhor filme internacional, Corpus Christi tinha três concorrentes mais robustos e melhores: o espanhol Dor e Glória, o francês Os Miseráveis e o sul-coreano (e vencedor) Parasita. Com a estreia nos cinemas cancelada pela pandemia, o longa-metragem chega ao streaming com a chance de ter muitas locações. Que assim seja! Qualidades não faltam. Na trama, Daniel (o estupendo Bartosz Bielenia) sai de um centro de detenção para trabalhar numa fazenda no interior da Polônia. Castigado pela vida e com a violência entranhada em sua rebelde personalidade, ele é confundido, na chegada ao vilarejo, com o padre substituto da igreja local. Decide, então, se passar pelo pároco, celebrar missas (sem a mínima noção de seu papel) e até ouvir confissões. Trata-se, a princípio, de uma história de superação, que se transforma num drama de intensidade pulsante pela inevitável força do destino. NOW, Looke e outras plataformas de aluguel.

Quer me seguir nas redes sociais? Anote! 

Facebook: Miguel Barbieri Jr. 
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: miguel barbieri jr