Chamado de “lixo”, sargento da PM processa empresário de Alphaville

O sargento da Polícia Militar Daniel Dias do Nascimento, que foi chamado de “lixo“, “bosta” e “merda” pelo empresário Ivan Storel, em maio deste ano, em Alphaville, após uma denúncia de violência doméstica, entrou com uma ação em que pede 50 000 reais de indenização. Na petição, a defesa do agente da lei afirma que o agora réu, “além de não atender à ordem policial, proferia inúmeros xingamentos, tais como “policiais de bosta, merda”, “vou chutar sua cara seu filho da puta”, “você é um lixo”, eu “ganho 300 000”e “PM ganha 1 000″‘.  Além dessas ofensas, o empresário falou que “você pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta. Aqui é Alphaville, mano“.

Dias depois, Storel, que foi levado para a delegacia e responde criminalmente por desacato – o Ministério Público ofereceu denúncia, que foi aceita pela Justiça-, disse em vídeo divulgado na internet que pedia perdão pelos atos e que estava sob efeito de álcool e remédios. “As palavras do réu, em diversas oportunidades, foram inclusive mais ofensivas que uma agressão física, pois visavam menosprezar o autor (sargento) como pessoa e como profissional. Bradava, para que todos ouvissem, que sua condição econômica (e seus contatos com os poderosos locais) o alçava como um ser superior aos demais, não estando ao alcance da lei”, escreveu a advogada Leticia Prass, que defende o PM.

Na decisão que aceitou o recebimento da ação, o juiz José Maria de Aguiar Júnior, do Foro de Santana de Parnaíba, concedeu gratuidade jurídica ao autor e deu quinze dias para Ivan Storel se manifestar, sob pena de o caso ser julgado a revelia.

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade